Agricultores trocam enxada por instrumentos e criam banda de forró “Capotes do Sertão”

Eles são agricultores desde criança e, nos momentos livres, fazem apresentações com sanfona, triângulo e zabumba

 

 

José Lindomar, de 42 anos, é agricultor desde os 15 anos. Antônio Afonso, de 51, também vive da terra desde criança, e Raimundo Alves de Sousa, o agricultor sonhador.

Nascidos e criados na comunidade do Rato, que fica a 45 km da cidade de Maranguape, os três agricultores descobriram que não era só do som da enxada que eles gostavam, mas também do som da sanfona, triângulo e zabumba. O trio “Capotes do Sertão” faz o maior sucesso na comunidade.

Tudo nasceu do sonho de criança de ser músico. O primeiro nome da banda era “Tomara que dê certo”. “O primeiro nome que colocamos na banda foi ‘Tomara que dê certo’, aí não deu certo. Fomos tocar em um local que tinha muito capote e decidimos colocar ‘Capotes do Sertão’, e deu certo”.

O sanfoneiro conta que conseguiu a sua primeira sanfona trocando um bode, e confessa que nunca teve aula para tocar o instrumento. “Aprendi mesmo com a minha inteligência, só de ouvir mesmo”. Hoje, para os “Capotes do Sertão”, tudo acaba em música.

Observatório de Políticas Públicas de MaranguapeAgricultores trocam enxada por instrumentos e criam banda de forró “Capotes do Sertão”

Agricultores trocam enxada por instrumentos e criam banda de forró “Capotes do Sertão”

Veja Também os Posts Relacionados!

Ainda com sede por conhecimento? Veja o que encontramos no OBSERVATÓRIO com base neste assunto. Isso pode complementar seus conhecimentos.

Topo