Distrito de Penedo

DISTRITO DE PENEDO LEIAM ONDE NASCEU A IDEIA DE CRIAÇÃO DO DNOCS

DISTRITO DE PENEDO

             Antigo Olho D’água do Maciel tinha apenas três casas que pertenciam a João Florêncio, Ana Faustino do Nascimento, Manuel Maciel, João Custódio e Maria Custódio, eram agricultores proprietários de terras e algumas cabeças de gado, o que não os deixavam livres da necessidade, que a seca dos ¾ (essa simbologia, significa o ato de solidariedade dos donos de terras da época, que dividiam em frações as terras maiores com os que nada tinham ou os que possuíam pouco) do ano de 1988 provocava, obrigando a todos a se alimentarem de maxixe com leite. Não existiam açudes, os reservatórios de água eram feitos em pequenos barreiros e poços por iniciativa do Sr. João Florêncio da Costa que chamava estes reservatórios de açude velho, o beija flor e a lagoinha.

            Em 1920 inicia-se o processo de estudo, pelo INFOC- Instituto Nacional de Obras de Combate a Seca (órgão que anos depois inspirou a criação do DNOCS) para a construção de um açude que recebeu o nome de Penedo, por está localizado no sopé de um serrote íngreme (Penedo é uma palavra do Tupi Guarani e significa montanha de grande massa, monte alto), a construção se deu no ano de 1932 por ter sido um ano muito escasso de água, a chuva não caia já fazia muito tempo, e então pela mão do homem que cavava o barro duro e seco dando forma e profundidade a um dos maiores patrimônios de Maranguape, contando também com a resistência dos animais (burros e jumentos), que carregavam no lombo subindo e descendo aquele alto, todo o material que era retirado. A precariedade de recursos era tão grande que o batalhão de homens trabalhando incansavelmente, muitas vezes era alimentado de pipoca e água, servidas em cuias de coité (conta D. Benvinda, moradora antiga do local).

O açude foi concluído e a comunidade estava muito esperançosa com a chegada de um novo tempo, o que não demorou muito para o desespero de todos, quando Penedo no dia 06 de maio de 1949, quebrou sua parede causando grandes prejuízos, levando embora tudo o que pertencia a comunidade dos arredores do açude inclusive o local que hoje se localiza o distrito de Papara, o que obrigou o poder público da época a reconstruir tudo a partir do ano de 1959, depois de uma nova grande seca, que incentivou a comunidade a se reerguer com a ajuda de pessoas como a D. Munda, filha do Sr. Manuel Inácio, que deu inicio ao trabalho religioso educacional, que junto ao povo e algumas entidades construiu no ano de 1959 o primeiro grupo escolar, tendo como primeiras professoras Claudia e Ritinha, filhas do Sr. José Bolacha.

No ano de 1970, houve um salto muito grande no desenvolvimento do local com a chegada de alguns equipamentos como o mini posto de saúde, salão comunitário, a igreja católica através do apoio da Prefeitura Municipal de Maranguape, EMATERCE, LBA, 45 DIACONIA (entidade dos Estados Unidos, que enviava doações materiais, roupas, comidas, remédios... para comunidades carentes, em troca de serviços sociais na própria comunidade) e Banco do Brasil.

A partir da lei 1074 do ano de 1991, de autoria do então vereador José Gadelha Junior, foi instituído oficialmente o Distrito de Penedo, agregando as localidades de: Bragantino, São Luiz, Jardim, Trapiá, Massapé, barbante, Viçosa, Tito e tendo como limites os distritos de Ladeira Grande, Papara, Amanarí e a localidade de corrente no município de Caucaia.

O distrito teve como primeiro nome Passagem Franca, pelo livre acesso permitido pelos fazendeiros donos de grande parte daquelas terras na época. Havendo a necessidade de um símbolo da comunidade, a mesma realizou um concurso para escolha da bandeira em parceria com escola e associação comunitária. O qual saiu como vencedora a bandeira de autoria do aluno Antonio Fredson de Oliveira Miranda, que defendeu as cores com o seguinte significado: O azul representa o céu e o nosso açude, tão influente na nossa história, o verde que representa nossa serra ingrime e as margens do nosso açude, o marrom que pinta nossas estradas de barro e o amarelo da nossa produção agrícola que tem como base o milho e o arroz.

O distrito tem como padroeiros a sagrada família, Jesus Maria e José em homenagem a todas as famílias que contribuíram para a construção da capela que se deu inicio depois da doação do terreno, feita pela D. Munda no ano de 1982 que somado aos esforços de toda comunidade, da arquidiocese de Fortaleza que conseguiu todo o piso através do ADVENNIATE (convênio criado em Roma para auxiliar projetos de restauro de igrejas em todo o mundo) e a associação de moradores que no ano de 1990 assumiu o compromisso de concluir os trabalhos.

A Escola Municipal, foi fundada em fevereiro de 1961, teve como primeiro nome Escola Municipal Passagem Franca, depois Escola Municipal Paulo Sarasate e por fim Escola Municipal Carlos Pereira de Sousa, em homenagem ao pai do Sr. Edmar Pereira de Sousa, doador do terreno, o equipamento funcionava apenas com uma classe multiseriado de 1º a 3º série, com 37 alunos e tinha como primeira professora a Sra. Maria do Socorro Leite. A escola foi ampliada e atualmente passa por mais um processo de restauro e ampliação, atendendo o ensino fundamental até a oitava série, possibilitando um ensino de qualidade e a democratização da educação do povo de Penedo e circunvizinhança, que também acolhe a 3º Cia de Suprimento do Exercito Brasileiro, levando a prática da cidadania todos os dias para os nossos lares

Observatório de Políticas Públicas de MaranguapeDistrito de Penedo

Distrito de Penedo

Veja Também os Posts Relacionados!

Ainda com sede por conhecimento? Veja o que encontramos no OBSERVATÓRIO com base neste assunto. Isso pode complementar seus conhecimentos.

Topo