Cachoeira

DISTRITO DE CACHOEIRA Rincão situado no sopé do serrote do mesmo nome, pelo outro lado banhado pelo Rio Juá, está localizado a margem esquerda da CE 065 no município de Maranguape – CE, com suas terras extremando com os municípios de Palmácia e Guaiúba. Recebeu este nome pelo fato de existir uma bela cachoeira no Rio Juá composta de grandes pedreiras, a qual foi destruída pela engenharia no ano de 1914, quando por ali passou a estrada que liga Maranguape a Pacoti, ainda hoje existe e reformada. Cachoeira era uma grande gleba de terras adquiridas pelo seu desbravador José Antonio de Moura Cavalcante, descendente de português e procedente de Icó, no Ceará, onde se refugiou por alguns anos da guerrilha existente entre as famílias Cavalcante e Albuquerque, ambas as donas de sesmarias em Pernambuco onde exploravam Cana-de-açúcar e café. José de Moura adquiriu as terras de Cachoeira de uma velha índia que residia à margem do Rio Juá, com seus dois filhos e que produzia milho e mandioca. O Coronel Moura, como era conhecido adquiriu as terras no ano de 1834, e mandou construir o açude São José o sobrado (Casarão da Cachoeira), prédio mais antigo da região e a Igreja de são José.O Coronel Moura era uma pessoa de muita influência nos meios políticos, chegando a transformar Cachoeira em vila, que na época era subordinada ao Distrito de Jubaia, e composta por cerca de 30 famílias que para conseguir transferir o cartório do Registro Civil de Jubaia para Cachoeira, por questões políticas, chegando para isso a construir uma vila de 15 casas de tijolos, fundando o povoado em 1838. O cartório ficou em Cachoeira por cerca de um ano e depois foi devolvido a Jubaia. Com a morte do coronel a propriedade foi passada por testamento para sua última esposa D. Isabelinha e seu filho José Antonio de Moura Cavalcante Filho. Com a morte da ultima herdeira, esta deixou um testamento para seu filho adotivo João Ramalho Cordeiro, que ao atingir a velhice deixou um testamento que se tornou inválido, pois o mesmo deixou dois herdeiros e um deles negociou sua parte na propriedade com o Ministério da Agricultura o qual repassou para o Comitê Agrícola de cachoeira composto por trinta membros. Em 1958 chegou a Cachoeira o jovem Elias de Andrade Cavalcante, que como professor e amigo da comunidade, conseguiu desenvolver a parte social do local, trazendo projetos, melhorando o casarão, recuperando a capela e reconstruindo o Açude São José que havia arrombado em 1908 e jamais alguém havia conseguido recupera-lo. Foram construídas dezenas de casas, permitindo o progresso, colocando energia elétrica em novembro de 1977 no Governo Estadual do Cel. José Adauto Bezerra, iniciada na gestão do prefeito José Gurgel Filho e concluída na gestão do prefeito Antonio Gonçalves Moreira, água encanada na rua principal, Centro Comunitário agregado ao posto de saúde, a Escola José de Moura (primeira ampliação no ano de 1986), a Escola Profissional, vários projetos artesanais além de uma fábrica de tecelagem. O distrito foi elevado a esta categoria em 18 de fevereiro de 1991, por meio do projeto de lei do Vereador Sebastião de Oliveira e Silva e gestão do então prefeito Raimundo Gomes de Matos e tem em sua área territorial as localidades de Riacho Verde, Mundo Novo, Boa Vista dos Valentins e sede do distrito.

Topo